quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

sábado, 26 de janeiro de 2013

BEM VINDOS !!!!!!!!!! 2 º ANO A

GALERINHA DO SEGUNDO ANO A ESPERO VOCÊS NA SEGUNDA FEIRA .
NÃO PRECISA LEVAR TODOS OS CADERNOS, LEVEM SÓ UM CADERNO, ESTOJO , LÁPIS, LÁPIS DE COR, POIS VOCÊS RECEBERÃO AS NOVAS APOSTILAS.

NESSE ANO TEREMOS TRABALHOS, CADERNO DE CASA E DE SALA E AS AVALIAÇÕES MENSAIS, E A UNIFICADA ONDE TODAS AS MATÉRIAS FICARAM  JUNTAS NA MESMA PROVA.


BEIJOCAS E UM BOM ANO LETIVO PARA NÓS!!!!!!!



terça-feira, 15 de janeiro de 2013

HORA DA CHAMADA

Língua Portuguesa

Alfabetização inicialPrática pedagógicaLeitura pelo aluno

Sequência Didática Ensino Fundamental I

Hora da chamada

Bloco de Conteúdo
Língua escrita
Conteúdo
Leitura
Objetivos 
• Realizar a leitura do próprio nome e do de alguns colegas.
• Reconhecer as letras.
• Escrever o próprio nome.

Ano
1º e 2º anos
Tempo estimado
Até que todos aprendam a escrever seu nome e reconhecer o dos colegas.
Flexibilização para deficiência intelectual (com pouco conhecimento do alfabeto e da sonoridade) Não dá para prever o tempo que o aluno poderá atingir esse conhecimento. Ele pode até aprender a grafar o próprio nome somente nos próximos anos.

Material necessário 
Caixa de sapato, cartaz de pregas, fichas com o nome das crianças, alfabeto (com letras maiúsculas e de fôrma) e letras móveis.
Desenvolvimento 
1ª etapa
Pergunte às crianças: como saber quem veio ou não à aula? Será que dá para descobrir isso sem ter que contar cada um ou sem ter que usar somente a memória? Anote as sugestões. Coloque as fichas com os nomes na caixa. Organize os pequenos em roda e explique que são os nomes deles que estão nas fichas. Lance o desafio: “Vamos descobrir quem veio e quem não veio lendo o que está dentro dessa caixa?”. Pegue uma ficha e incentive-os a ler. Deixe que eles se esforcem e debatam. Quando o nome for identificado, a criança deve levantar e pregar a plaquinha no cartaz.
Flexibilização para deficiência intelectual (com pouco conhecimento do alfabeto e da sonoridade) Em alguns nomes, coloque símbolos que representem o amigo para estimular sua vontade pela leitura. Tente fazer com que o aluno consiga ver a ficha.
2ª etapa
Incentive as crianças a arriscar a primeira letra. Avance para as outras, usando como referência o nome de outros colegas. Por exemplo, se na ficha estiver grafado “Amanda”, conduza a discussão indicando que a palavra começa com o mesmo A de “Ana” e de “Amélia”. Pergunte: “Quem mais tem um nome que começa com A e que está aqui na aula hoje?”
Flexibilização para deficiência intelectual (com pouco conhecimento do alfabeto e da sonoridade) Retire três cartões com nomes em tamanhos, que iniciem com letras diferentes do nome do aluno e peça que pegue o dele.

3ª etapa
Utilize estratégias para diversificar a atividade. Para alguns nomes terminados em A e O, revele a última letra e pergunte: "É de menino ou de menina?" Para nomes parecidos - Rodrigo e Rogério, por exemplo -, revele as duas primeiras letras e vá explorando as diferenças no resto da palavra. Em outros, como Maria e Mariana, é possível ainda comparar os diferentes tamanhos dos dois.

4ª etapa Após a leitura, distribua a cada um a ficha com seu nome. Peça que todos reproduzam o que está escrito com o alfabeto móvel. O processo deve ser auxiliado com questionamentos: "Tem certeza de que é essa letra?" ou "A letra está do ‘lado’ correto?" Observe as crianças que não precisam mais do modelo na hora de escrever.
Flexibilização para deficiência intelectual (com pouco conhecimento do alfabeto e da sonoridade) Forme uma dupla com um amigo que esteja mais avançado nas hipóteses de leitura. Se preciso for, seja você o par do aluno nessa atividade.

5ª etapa Proponha que as crianças escrevam o próprio nome em seus desenhos e outras atividades. Sempre que houver confusões entre letras parecidas (o S e o Z, por exemplo), oriente os pequenos a consultar o alfabeto fixo acima do quadro para tirar dúvidas. Incentive também que perguntem a um colega o que pensa.
Flexibilização para deficiência intelectual (com pouco conhecimento do alfabeto e da sonoridade) Mantenha à disposição a ficha do aluno para que ele possa copiar seu nome nas atividades. Peça que deixe uma ficha com seu nome para que a utilize em suas lições de casa. Produza fichas com nomes dos outros colegas para ele trabalhar no AEE.

AvaliaçãoDurante toda a atividade, observe as muitas tentativas de escrita. Contemple a diversidade da classe. Para estimular quem já aprendeu a escrever o nome, proponha que passe para o nome de um colega - com ou sem o auxílio das fichas, dependendo do caso.

Fonte Adaptação das apostilas Escrita do Nome Próprio e Agenda, Jogos e Lista de Nomes do Programa Além das Letras (Instituto Avisa Lá).
Consultoria 
Apostilas Escrita do Nome Próprio e Agenda, Jogos e Lista de Nomes Do Programa Além das Letras (Instituto Avisa Lá)

fonte: nova escola 

atividades de caligrafia

UINTA-FEIRA, 25 DE FEVEREIRO DE 2010


Caderno de caligrafia















fonte: http://alinnemeucantinho.blogspot.com/2010/02/caderno-de-caligrafia.html

atividades de caligrafia















Formas diferentes de trabalhar com seus alunos.


Formas diferentes de trabalhar com seus alunos.




TRABALHO INDIVIDUAL
  • Quando a atividade requer mais tempo para ser realizada;
  • Se o professor quer que o aluno evolua em uma capacidade fazendo uma atividade mais direcionada ao seu grau de aprendizagem específico;
  • Quando a atividade serve apenas para avaliar o grau de aprendizagem daquele aluno;
TRABALHO EM DUPLA
Se é necessário aliar dois conhecimentos distintos para uma atividade, pode-se juntar alunos que possuam cada um deles;
  • Pode-se explorar as variações de níveis de aprendizagem para que os alunos evoluam juntos;
  • Quando as questões de gênero ou sociais geram atritos, o trabalho em dupla ajuda alunos diferentes a se relacionarem para chegar a uma resposta comum;
TRABALHO EM TRIO
  • Estimula o aluno a ter firmeza para eventualmente insistir em seu ponto de vista, contra argumentando com os colegas;
  • Um estudante fraco se aproxima de outro que sabe mais com a ajuda de um intermediário;
  • Na Educação Infantil, atividades com crianças de várias idades ganham com essa diferença de maturidade;
TRABALHO EM GRUPO
Quando a temática é abrangente, ele vale para que os alunos aprendam de forma mais complexa a dividir tarefas;
  • Pode-se exigir mais da capacidade argumentativa, já que o professor consegue montar grupos com os alunos que tenham raciocínios bem diferentes;
  • Temas complexos e polêmicos se desenvolvem melhor quando o debate é ampliado;


domingo, 13 de janeiro de 2013

COMO FAZER FANTOCHE

Material: 20cm de feltro ou EVA , 1 tesoura, 1 pistola de cola quente, retalhos de feltro ou EVA, e mais acessórios ( botões, fitas, cordões, olhos móveis,etc).




Corpo base

•Corte 2 vezes o molde acima em feltro (ou eva) para fazer o corpo base.
•Passe cola quente ou costure nas laterais, como mostra no tracejado do desenho, deixando as extremidades livres para o acesso da mão e dos dedos.







•Se quiser cole ou costure a roupa outros detalhes.
•Se estiver fazendo um animal cole o rabo ou manchas.





A cabeça

•Corte 2 vezes o molde da cabeça em feltro (ou eva) na cor do seu fantoche.
•Cole a parte de trás da cabeça na parte de trás do corpo base já pronto.
•Passe cola quente, como mostra no tracejado do desenho, para colar a outra parte da cabeça.







Acabamento final

•Corte 1 vez o molde em feltro ou emborrachado dos detalhes correspondente ao seu fantoche.
•Cole com cola quente.
Recorte os olhos em emborrachado ou use olhos móveis e cole no fantoche.
•Complete, se necessário, com mais algum detalhe, dando seu toque pessoal.












Figura humana

• Um novelo de lã da cor de sua preferência.
• Cabelo comum: corte de 30 a 40 fios de 40cm.
• Cabelo de trança: corte de 30 a 40 fios de 60cm.
• Cabelo de trança rapunzel: corte de 30 a 40 fios de 80cm.
• Pegue 3 arames (tipo os que são usados para fechar saco de pão de forma), use 1 para amarrar a lã na metade.



• Amarre os dois arames, 10cm para um lada e 10cm para o outro.

•Se for fazer tranças, faça a partir dos arames das laterais.

•Quando faltar 4cm de lã para acabar de trançar, use mais dois arames parafazer o acabamento.

•Passe cola quente na metade de cima da cabeça. Deve torcer um pouco o cabelo de lã e, então, cole.






A partir da figura humana básica crie todos os personagens para suas histórias, usando a imaginação e a criatividade acrescente acessórios como: chapéus, óculos, coroas, brincos, colares,varinhas, vassouras, barbas, bigodes... E muito carinho!



fonte:  http://muraisamodelosmoldesideias.blogspot.com.br/2011/06/como-fazer-fantoche.html

Quadro unidade e dezena


fonte:  http://muraisamodelosmoldesideias.blogspot.com.br/2011/08/quadro-unidade-e-dezena.html

COZINHA FEITA DE PAPELAO



fonte:  http://muraisamodelosmoldesideias.blogspot.com.br/2011/07/cozinha-feita-de-papelao.html

sábado, 12 de janeiro de 2013

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Aplicativo que permite criar teste , provas e etc

CLIQUE NO LINK :

http://canaldoensino.com.br/blog/interessado-em-utilizar-novas-tecnologias-na-educacao

VAMOS RECICLAR?????






QUE IDEIA LEGAL PARA FAZER UM CARTAZ!!!

Depois é só construir com a turminha, lixeiras grandes para a sala!!!

fonte:  

http://tiafabiolasonhomeu.blogspot.com.br/2012/08/vamos-reciclar.html

Atividades de matemática










fonte:  http://meustrabalhospedagogicos.blogspot.com.br/search/label/Plano%20de%20Aula%3A%20Matem%C3%A1tica

ESTIMULOS PARA LEITURA



Flávia Muniz
Ilustrada por Michele Lacocca
Editora Moderna


É uma história bem movimentada, protagonizada por divertidos animais, e que prende a atenção do leitor pela curiosidade:
O que será que tem na caixa?
 Quem ficará com ela?
Os bichos falam em rimas, o que, além de ser um estímulo para a leitura, pode abrir uma brecha para um criativo trabalho de escrita.
Texto alegre e divertido onde os animais se comportam como um grupo de crianças disputando algo que desconhecem,mas supõem ser valioso.
E uma surpresa espera o leitor no final.            
Atividades
Um dia, lá do céu, cai uma caixa no mato.
O primeiro a encontrála é o sapo, mas logo chega toda a bicharada, curiosa para saber o que terá lá dentro.
Cada um tem um palpite, e a mata vira uma algazarra.
Até que chega o rei — o leão — que reivindica a caixa para si.
Com socos, patadas e golpes baixos, põe os bichos para correr.
Aproveitando a confusão, o esperto macaco carrega com ele a caixa misteriosa.
E, sob os olhares de todos, na expectativa de encontrar bananas, doces, bolos, o macaco abre o fecho.
Surpresa: é uma careta de molas. Bem feito para o macaco xereta!
COMENTÁRIOS SOBRE A OBRA
É uma história bem movimentada, protagonizada por divertidos animais, e que prende a atenção do leitor pela curiosidade:
O que será que tem na caixa?
Quem ficará com ela?
Os bichos falam em rimas, o que, além de ser um estímulo para a leitura, pode abrir uma brecha para um criativo trabalho de escrita.
Áreas envolvidas: Língua Portuguesa, Ciências, Geografia
Temas transversais: Ética, Meio ambiente
Público-alvo: Leitor iniciante
PROPOSTAS DE ATIVIDADES
Antes da leitura:
1. Mostre a capa do livro aos alunos e pergunte: o que será que tem nessa caixa?
 Registre todos os palpites.
Durante a leitura:
1. Antecipe que “a caixa maluca” vai ser disputada por muitos personagens.
Peça para que eles avaliem, ao longo da leitura, os motivos que cada um apresenta para ficar com a caixa.
2. Sugira que verifiquem, por meio da ilustração, como reage o animal que encontrou a caixa. Michele Iacocca caracteriza, com muito humor, as reações — de simpatia ou de preocupação — do sapo pelo que dizem os outros animais.
3. Há passagens do texto em que aparecem muitas rimas (quando falam os animais). Solicite que os alunos assinalem onde elas ocorrem.
Depois da leitura:
1. Questionar os alunos:
Quem viu primeiro a caixa?
 O macaco merecia ficar com a caixa?
Quem deveria ficar com ela, na sua opinião?
2. Proponha que criem um outro final para a história.
• A mudança pode começar a partir da frase “Da caixa maluca não saiu banana, nem bolo, nem doce, nem bala...”, se quiserem substituir apenas o que tinha dentro da caixa.
• Pode ainda começar de “Já …………………………………, tomou cuidado. E, no meio do bafafá, pegou a caixa — muito sabido...”, se quiserem mudar também quem pegou a caixa.
3. Construindo listas de bichos
Proponha a seus alunos elaborar uma lista dos bichos que aparecem no livro.
Registre o nome do bicho na tabela e marque, na coluna correspondente, se ele é citado no texto e ilustrado ou se aparece só na ilustração.
NOME APARECE NO TEXTO APARECE SÓ NA DO BICHO E NA ILUSTRAÇÃO ILUSTRAÇÃO
4. Pesquisando sobre animais
Proponha um trabalho de pesquisa sobre animais, perguntando:
Que animais participam da história?
Onde deve se passar essa história, então? (Como são animais da selva, deve se passar numa selva; e não no Brasil, pois aqui não há leões, elefantes.)
E se a caixa caísse na Floresta Amazônica, na Mata Atlântica ou no Cerrado?
 Fazer um levantamento sobre quais animais habitam essas regiões.
Alguns eles conhecem, outros devem ser pesquisados em livros ou em sites na Internet.
A pesquisa pode se estender para uma coleta de dados sobre cada animal.
5. Brinque com a classe de adivinhar os animais pela rima.
Aproveite as frases do texto, como “Viu nada, seu bobão! A caixa é do rei leão!”, e proponha outras como:
• Deixem a caixa aí, ela é do ……………… ( jabuti, javali, siri)
• Que ninguém se amedronte, a caixa é do ……… (rinoceronte)
• A caixa tem um diamante, só pode ser do ………… (elefante)
6. Adaptando a história para as florestas brasileiras
Proponha a seus alunos adaptar a história para que a disputa se dê nas matas brasileiras.
Como ficaria? Desafie-os a explorar as rimas nas falas dos animais, como no livro.
7. Confeccionando caixas e mais caixas malucas
Organize a classe em grupos e proponha que cada um crie uma caixa misteriosa.
Eles devem decidir o que terá a caixa, e depois revesti-la com papéis coloridos, pinturas ou gravuras, de modo que fique bem atraente.
A surpresa da caixa pode ser uma recompensa ou um castigo brincalhão.
Quando todos já tiverem confeccionado a caixa, faça um sorteio para saber que grupo presenteará o outro.
Em seguida, os participantes do mesmo grupo devem disputar a caixa.
 Cada um representará um animal à sua escolha e apresentará um argumento que justifique sua pretensão à caixa. Por exemplo:
Eu sou a tartaruga; sou a mais velha dos animais, por isso mereço ficar com a caixa.
Ou:
Eu sou a onça-pintada; estou ameaçada de extinção, por isso devo ser recompensada.
E assim por diante.
O grupo presenteador é que decide qual é o argumento mais convincente.
E o que tem dentro dacaixa? Isso é uma história que fica para  uma outra vez...
Mais atividades:
  Inspirada no livro “A Caixa Maluca” de Flávia Muniz, a professora criou uma atividade para envolver toda a família na realização do projeto.
 A brincadeira consistia no envio de uma caixa decorada para a casa da criança, onde era depositado seu brinquedo ou objeto preferido, e no dia seguinte a turma se reunia tentando adivinhar qual seria a surpresa da “Caixa Maluca”.
Para que todos entendessem a relação da criança com o conteúdo da caixa, o pai ou a mãe enviavam junto um pequeno texto explicativo, com algumas dicas para os colegas.
Durante o projeto, houve a construção de um livro individual explorando as diferentes técnicas artísticas que os pequenos estudantes aprenderam, que foi entregue aos pais acompanhado do DVD com as fotos dos momentos mais significativos do trimestre e trilha sonora composta pelas músicas mais ouvidas em sala de aula.

Caixa Mágica e o alfabeto

O/A aluno/a poderá desenvolver a comunicação oral por meio da exposição de ideias, bem como, ampliar a criatividade e a imaginação.
Duração das atividades
Aproximadamente 1 aula de 60 minutos.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
Professor/a é preciso que os/as alunos/as já estejam familiarizados/as com o alfabeto, ou seja, reconheçam as diferentes letras de nosso alfabeto e palavras que correspondam a cada uma delas.
Estratégias e recursos da aula
Para a execução dessa aula será necessário confeccionar uma caixa, você poderá utilizar uma caixa de sapatos, grande, encapada com papéis coloridos do jeito que preferir. 
Faça um buraco em uma das laterais de forma que caiba a mão da criança. 
Crie uma proteção em volta para que elas não vejam o que há dentro da mesma.
 Enfeite a caixa por fora colando letras do alfabeto de diversos tamanhos e materiais e dentro coloque vários objetos e letras do alfabeto.
É importante que antes do uso desse recurso você professor/a, já tenha explorado bastante o alfabeto com seus/as alunos/as através de atividades, poemas, canções e que eles/as já consigam fazer associações entre as letras e os objetos correspondentes.
Professor/a inicie a aula com uma roda de conversa, apresentando aos/às seus/suas alunos/as a “Caixa Mágica”. Crie um suspense em volta dessa caixa. 
Ela poderá ser passada de mão em mão. 
Peça que cada criança retire um objeto de dentro da caixa, lembrando que dentro dela deverá conter todas as letras do alfabeto e pequenos objetos correspondem às letras que lá estão.
A criança que colocar a mão na caixa poderá retirar uma letra ou um objeto.
 Caso retire a letra deverá dizer o nome dela e uma palavra que começa com aquela letra. 
Caso retire um objeto, deverá dizer seu nome e com qual letra começa seu nome.
Você professor/a poderá ser o/a escriba da turma e realizar a escrita de um texto coletivo contando sobre a dinâmica para posterior registro no caderno de sala.
Avaliação
Essa prática poderá ser realizada todos os dias como uma dinâmica na roda da conversa.
 Será considerada satisfatória se todos/as alunos/as participarem ativamente e também conseguirem identificar letras e objetos; dizer seus nomes e a letra do alfabeto com que iniciam.

CAIXA MÁGICA DE SUPRESA


UM LIVRO
É UMA BELEZA
É UMA CAIXA MÁGICA
SÓ DE SUPRESA.

UM LIVRO
PARECE MUDO,
MAS NELE A GENTE
DESCOBRE TUDO

UM LIVRO
TEM ASAS
LONGAS E LEVES
QUE,DE REPENTE,
LEVAM A GENTE
LONGE,LONGE...

UM LIVRO
É UM PARQUE DE DIVERSÕES
CHEIO DE SONHOS COLORIDOS,
CHEIO DE DOCES SORTIDOS
CHEIO DE LUZES E BALÕES.


UM LIVRO
É UMA FLORESTA
COM FOLHAS E FLORES
E BICHOS E CORES.

É MESMO UMA FESTA,
UM BÁU DE FEITICEIRO,
UM NAVIO PIRATA NO MAR,
UM FOGUETE PERDIDO NO AR,
E UM AMIGO COMPANHEIRO.

Atividades para todas as hipóteses silábicas
- Leituras
- Memorizar rimas
- Ler e desenhar
- Descobrir palavras
- Montar um livro com a poesia
- Identificar letras e sílabas iniciais nas palavras
- Ordenar palavras e frases
- Colar as palavras em ordem alfabéticas
- Descobrir palavras e frases no textos
- Produzir e ilustrar pequenos textos
- Separar palavras no texto observando a segmentação
Exemplo
Memorize a rima e complete a frase
UM LIVRO É BELEZA
É UMA CAIXA MÁGICA
SÓ DE _______________

1) Que livros você leu nesse último mês?
2) No poema lemos: “um livro tem asas longas e leves”. Explique.
3) Por que o autor, neste poema, diz que o livro é uma caixa mágica?
4) Quando se diz que um livro é uma festa, estamos afirmando que:
( ) é igual a festa de aniversário.
( ) tem muitos doces.
( ) tem coisas bonitas e agradáveis e pode nos proporcionar
conhecimento, prazer e alegria.
5) Um livro é um parque de diversões, porque:
( ) nos proporciona lazer e prazer.
( ) tem roda gigante e outros brinquedos
Produção de texto
Professor, leve seus alunos à biblioteca ou leve vários títulos para a sala.
Possibilite que escolham livros.
Explique o processo pelo qual passa a produção de um livro: escrita, ilustração, revisão, diagramação gráfica, impressão venda e consumo.
Você pode solicitar ao aluno que após fazer a leitura do livro, escreva com suas palavras o que mais gostou.
Escreva bilhetes indicando a leitura do livro
Faça uma propaganda do livro que leu. Ilustre o texto através de desenhos  

Aqui tem mais:



 caixa magica de surpresas Elias José       


Avaliação :atividades sobre este poemahttp://lpressurib.files.wordpress.com/2010/05/prova_de_portugues_gabarito.pdf      
 Vejam aqui mais sugestões




FONTE: 

Flávia Muniz
Ilustrada por Michele Lacocca
Editora Moderna


É uma história bem movimentada, protagonizada por divertidos animais, e que prende a atenção do leitor pela curiosidade:
O que será que tem na caixa?
 Quem ficará com ela?
Os bichos falam em rimas, o que, além de ser um estímulo para a leitura, pode abrir uma brecha para um criativo trabalho de escrita.
Texto alegre e divertido onde os animais se comportam como um grupo de crianças disputando algo que desconhecem,mas supõem ser valioso.
E uma surpresa espera o leitor no final.            
Atividades
Um dia, lá do céu, cai uma caixa no mato.
O primeiro a encontrála é o sapo, mas logo chega toda a bicharada, curiosa para saber o que terá lá dentro.
Cada um tem um palpite, e a mata vira uma algazarra.
Até que chega o rei — o leão — que reivindica a caixa para si.
Com socos, patadas e golpes baixos, põe os bichos para correr.
Aproveitando a confusão, o esperto macaco carrega com ele a caixa misteriosa.
E, sob os olhares de todos, na expectativa de encontrar bananas, doces, bolos, o macaco abre o fecho.
Surpresa: é uma careta de molas. Bem feito para o macaco xereta!
COMENTÁRIOS SOBRE A OBRA
É uma história bem movimentada, protagonizada por divertidos animais, e que prende a atenção do leitor pela curiosidade:
O que será que tem na caixa?
Quem ficará com ela?
Os bichos falam em rimas, o que, além de ser um estímulo para a leitura, pode abrir uma brecha para um criativo trabalho de escrita.
Áreas envolvidas: Língua Portuguesa, Ciências, Geografia
Temas transversais: Ética, Meio ambiente
Público-alvo: Leitor iniciante
PROPOSTAS DE ATIVIDADES
Antes da leitura:
1. Mostre a capa do livro aos alunos e pergunte: o que será que tem nessa caixa?
 Registre todos os palpites.
Durante a leitura:
1. Antecipe que “a caixa maluca” vai ser disputada por muitos personagens.
Peça para que eles avaliem, ao longo da leitura, os motivos que cada um apresenta para ficar com a caixa.
2. Sugira que verifiquem, por meio da ilustração, como reage o animal que encontrou a caixa. Michele Iacocca caracteriza, com muito humor, as reações — de simpatia ou de preocupação — do sapo pelo que dizem os outros animais.
3. Há passagens do texto em que aparecem muitas rimas (quando falam os animais). Solicite que os alunos assinalem onde elas ocorrem.
Depois da leitura:
1. Questionar os alunos:
Quem viu primeiro a caixa?
 O macaco merecia ficar com a caixa?
Quem deveria ficar com ela, na sua opinião?
2. Proponha que criem um outro final para a história.
• A mudança pode começar a partir da frase “Da caixa maluca não saiu banana, nem bolo, nem doce, nem bala...”, se quiserem substituir apenas o que tinha dentro da caixa.
• Pode ainda começar de “Já …………………………………, tomou cuidado. E, no meio do bafafá, pegou a caixa — muito sabido...”, se quiserem mudar também quem pegou a caixa.
3. Construindo listas de bichos
Proponha a seus alunos elaborar uma lista dos bichos que aparecem no livro.
Registre o nome do bicho na tabela e marque, na coluna correspondente, se ele é citado no texto e ilustrado ou se aparece só na ilustração.
NOME APARECE NO TEXTO APARECE SÓ NA DO BICHO E NA ILUSTRAÇÃO ILUSTRAÇÃO
4. Pesquisando sobre animais
Proponha um trabalho de pesquisa sobre animais, perguntando:
Que animais participam da história?
Onde deve se passar essa história, então? (Como são animais da selva, deve se passar numa selva; e não no Brasil, pois aqui não há leões, elefantes.)
E se a caixa caísse na Floresta Amazônica, na Mata Atlântica ou no Cerrado?
 Fazer um levantamento sobre quais animais habitam essas regiões.
Alguns eles conhecem, outros devem ser pesquisados em livros ou em sites na Internet.
A pesquisa pode se estender para uma coleta de dados sobre cada animal.
5. Brinque com a classe de adivinhar os animais pela rima.
Aproveite as frases do texto, como “Viu nada, seu bobão! A caixa é do rei leão!”, e proponha outras como:
• Deixem a caixa aí, ela é do ……………… ( jabuti, javali, siri)
• Que ninguém se amedronte, a caixa é do ……… (rinoceronte)
• A caixa tem um diamante, só pode ser do ………… (elefante)
6. Adaptando a história para as florestas brasileiras
Proponha a seus alunos adaptar a história para que a disputa se dê nas matas brasileiras.
Como ficaria? Desafie-os a explorar as rimas nas falas dos animais, como no livro.
7. Confeccionando caixas e mais caixas malucas
Organize a classe em grupos e proponha que cada um crie uma caixa misteriosa.
Eles devem decidir o que terá a caixa, e depois revesti-la com papéis coloridos, pinturas ou gravuras, de modo que fique bem atraente.
A surpresa da caixa pode ser uma recompensa ou um castigo brincalhão.
Quando todos já tiverem confeccionado a caixa, faça um sorteio para saber que grupo presenteará o outro.
Em seguida, os participantes do mesmo grupo devem disputar a caixa.
 Cada um representará um animal à sua escolha e apresentará um argumento que justifique sua pretensão à caixa. Por exemplo:
Eu sou a tartaruga; sou a mais velha dos animais, por isso mereço ficar com a caixa.
Ou:
Eu sou a onça-pintada; estou ameaçada de extinção, por isso devo ser recompensada.
E assim por diante.
O grupo presenteador é que decide qual é o argumento mais convincente.
E o que tem dentro dacaixa? Isso é uma história que fica para  uma outra vez...
Mais atividades:
  Inspirada no livro “A Caixa Maluca” de Flávia Muniz, a professora criou uma atividade para envolver toda a família na realização do projeto.
 A brincadeira consistia no envio de uma caixa decorada para a casa da criança, onde era depositado seu brinquedo ou objeto preferido, e no dia seguinte a turma se reunia tentando adivinhar qual seria a surpresa da “Caixa Maluca”.
Para que todos entendessem a relação da criança com o conteúdo da caixa, o pai ou a mãe enviavam junto um pequeno texto explicativo, com algumas dicas para os colegas.
Durante o projeto, houve a construção de um livro individual explorando as diferentes técnicas artísticas que os pequenos estudantes aprenderam, que foi entregue aos pais acompanhado do DVD com as fotos dos momentos mais significativos do trimestre e trilha sonora composta pelas músicas mais ouvidas em sala de aula.

Caixa Mágica e o alfabeto

O/A aluno/a poderá desenvolver a comunicação oral por meio da exposição de ideias, bem como, ampliar a criatividade e a imaginação.
Duração das atividades
Aproximadamente 1 aula de 60 minutos.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
Professor/a é preciso que os/as alunos/as já estejam familiarizados/as com o alfabeto, ou seja, reconheçam as diferentes letras de nosso alfabeto e palavras que correspondam a cada uma delas.
Estratégias e recursos da aula
Para a execução dessa aula será necessário confeccionar uma caixa, você poderá utilizar uma caixa de sapatos, grande, encapada com papéis coloridos do jeito que preferir. 
Faça um buraco em uma das laterais de forma que caiba a mão da criança. 
Crie uma proteção em volta para que elas não vejam o que há dentro da mesma.
 Enfeite a caixa por fora colando letras do alfabeto de diversos tamanhos e materiais e dentro coloque vários objetos e letras do alfabeto.
É importante que antes do uso desse recurso você professor/a, já tenha explorado bastante o alfabeto com seus/as alunos/as através de atividades, poemas, canções e que eles/as já consigam fazer associações entre as letras e os objetos correspondentes.
Professor/a inicie a aula com uma roda de conversa, apresentando aos/às seus/suas alunos/as a “Caixa Mágica”. Crie um suspense em volta dessa caixa. 
Ela poderá ser passada de mão em mão. 
Peça que cada criança retire um objeto de dentro da caixa, lembrando que dentro dela deverá conter todas as letras do alfabeto e pequenos objetos correspondem às letras que lá estão.
A criança que colocar a mão na caixa poderá retirar uma letra ou um objeto.
 Caso retire a letra deverá dizer o nome dela e uma palavra que começa com aquela letra. 
Caso retire um objeto, deverá dizer seu nome e com qual letra começa seu nome.
Você professor/a poderá ser o/a escriba da turma e realizar a escrita de um texto coletivo contando sobre a dinâmica para posterior registro no caderno de sala.
Avaliação
Essa prática poderá ser realizada todos os dias como uma dinâmica na roda da conversa.
 Será considerada satisfatória se todos/as alunos/as participarem ativamente e também conseguirem identificar letras e objetos; dizer seus nomes e a letra do alfabeto com que iniciam.

CAIXA MÁGICA DE SUPRESA


UM LIVRO
É UMA BELEZA
É UMA CAIXA MÁGICA
SÓ DE SUPRESA.

UM LIVRO
PARECE MUDO,
MAS NELE A GENTE
DESCOBRE TUDO

UM LIVRO
TEM ASAS
LONGAS E LEVES
QUE,DE REPENTE,
LEVAM A GENTE
LONGE,LONGE...

UM LIVRO
É UM PARQUE DE DIVERSÕES
CHEIO DE SONHOS COLORIDOS,
CHEIO DE DOCES SORTIDOS
CHEIO DE LUZES E BALÕES.


UM LIVRO
É UMA FLORESTA
COM FOLHAS E FLORES
E BICHOS E CORES.

É MESMO UMA FESTA,
UM BÁU DE FEITICEIRO,
UM NAVIO PIRATA NO MAR,
UM FOGUETE PERDIDO NO AR,
E UM AMIGO COMPANHEIRO.

Atividades para todas as hipóteses silábicas
- Leituras
- Memorizar rimas
- Ler e desenhar
- Descobrir palavras
- Montar um livro com a poesia
- Identificar letras e sílabas iniciais nas palavras
- Ordenar palavras e frases
- Colar as palavras em ordem alfabéticas
- Descobrir palavras e frases no textos
- Produzir e ilustrar pequenos textos
- Separar palavras no texto observando a segmentação
Exemplo
Memorize a rima e complete a frase
UM LIVRO É BELEZA
É UMA CAIXA MÁGICA
SÓ DE _______________

1) Que livros você leu nesse último mês?
2) No poema lemos: “um livro tem asas longas e leves”. Explique.
3) Por que o autor, neste poema, diz que o livro é uma caixa mágica?
4) Quando se diz que um livro é uma festa, estamos afirmando que:
( ) é igual a festa de aniversário.
( ) tem muitos doces.
( ) tem coisas bonitas e agradáveis e pode nos proporcionar
conhecimento, prazer e alegria.
5) Um livro é um parque de diversões, porque:
( ) nos proporciona lazer e prazer.
( ) tem roda gigante e outros brinquedos
Produção de texto
Professor, leve seus alunos à biblioteca ou leve vários títulos para a sala.
Possibilite que escolham livros.
Explique o processo pelo qual passa a produção de um livro: escrita, ilustração, revisão, diagramação gráfica, impressão venda e consumo.
Você pode solicitar ao aluno que após fazer a leitura do livro, escreva com suas palavras o que mais gostou.
Escreva bilhetes indicando a leitura do livro
Faça uma propaganda do livro que leu. Ilustre o texto através de desenhos  

Aqui tem mais:



 caixa magica de surpresas Elias José       


Avaliação :atividades sobre este poemahttp://lpressurib.files.wordpress.com/2010/05/prova_de_portugues_gabarito.pdf      
 Vejam aqui mais sugestões




http://linguagemeafins.blogspot.com.br/2012/12/a-caixa-malucaa-caixa-magicaestimulos.html

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...